Make your own free website on Tripod.com

gustavo mudo

     

 

O percurso de Gustavo Mudo
A dança
A ligação do criador ao movimento físico começou desde bem pequeno. Desde os 3 anos até aos 18 anos fez ginástica no Lisboa Ginásio Clube, em Lisboa. Passou pela ginástica de formação, ginástica desportiva, trampolins e acrobática. Além disso jogou muito futebol e ténis. Em 1991 mudou para as artes marciais, onde conheceu o mestre e músico Guilherme Luz. Praticou Kung Fu Toa com ele durante 3 anos. Posteriormente criou uma dança própria, resultante de todas as suas experiências. Eis o que ele diz sobre a sua dança:"Depois de ter passado toda a minha infância e adolescência a praticar desportos competitivos e de grande esforço, chegou uma altura em que encontrei algo mais que se ligasse ao movimento físico. Encontrei a arte do movimento ligada à arte da respiração e da meditação. Passei a ligar o movimento a uma forma de estar na vida, a uma filosofia. Hoje tenho a vida ao meu ritmo e considero o movimento condição indispensável, como a comida que nos alimenta, como a roupa que nos aquece. Neste momento não preciso de o requisitar, porque ele vem ao meu encontro; como vem a água para eu beber, como vem o sol para me expandir. 
  A minha dança, o meu movimento está nas camas que faço, nos rabinhos que limpo e lavo, nos passeios junto ao Tejo, na montagem das exposições, nas caminhadas com os amigos, no sexo que pratico, na comida que cozinho, na dança que pratico.
  Não vejo o movimento separado de tudo o que faço, porque tudo é dança, tudo é movimento. E se pensarmos que a dança é uma arte, então tudo é arte".
 
Os pensadores e os praticantes do movimento
O encontro com o mestre e músico Guilherme Luz, foi muito importante na mudança de perspectiva do movimento físico. Com ele desenvolveu uma relação de amizade que ainda hoje persiste. A ligação com o amigo e  mestre fê-lo associar o movimento ao todo que é a vida; fê-lo associar como a forma de nos expressarmos fisicamente tem haver com a forma como pensamos e agimos no quotidiano. O livro "A arte de tiro com arco", de Herrigel, transmite esta associação, e como o pensamento oriental se torna importante para uma visão mais completa da realidade.

Apresentações
2000 - Instituto Macrobiótico de Portugal, durante a exposição de nunufilix
2001 - Casa do Concelho de Castanheira de Pêra, durante a exposição de nunufilix e de outros 
            eventos 
O teatro
O teatro é um complemento da escrita. Enquanto o processo de escrita do criador exige o silêncio  e o isolamento, no teatro exige-se a presença de pessoas, e a voz faz o ruído. É um instrumento importante na evocação directa com a humanidade. Vejamos o que diz o criador do seu teatro:
"O processo criativo no teatro não tem um trabalho prévio com textos para decorar; ou melhor os textos nunca existem. O que existe é um esboço, um caminho por traçar; pois só quando se pisa o palco o caminho é traçado e percorrido".
Apresentações
2000 - Instituto Macrobiótico de Portugal; Lisboa - A peça "Meu Infinito"
2001 - Casa do Conselho de Castanheira de Pêra; Lisboa - A peça "Meu Infinito"
2001 - Espaço Mahart, Costa de Caparica - A peça "Morrer e Viver"
2001 - Espaço Yin-Yang, Lisboa - A peça "Morrer e Viver"